Desemprego divulgado pelo IBGE confirma piora no cenário da construção

desemprego1

Economia mais fraca é reflexo das escolhas do governo e compromete início do próximo ciclo do setor, avalia SindusCon-SP

São Paulo, 25 de agosto de 2015 – A taxa de desemprego divulgada hoje pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE), na avaliação do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP), confirma a piora do cenário para a indústria da construção e a sua disseminação entre os diversos segmentos da cadeia. 

“Estes dados demonstram a urgência de o governo redirecionar os escassos recursos de que dispõe para os setores que, como a construção civil, dispõem de forte potencial de geração de emprego”, comenta José Romeu Ferraz Neto, presidente do SindusCon-SP. “Isto significa priorizar os pagamentos que continuam em atraso do PAC e do Programa Minha Casa, Minha Vida, bem como agilizar as concessões de serviços de infraestrutura que resultarão em novas rodovias, aeroportos, portos e ferrovias”, assinalou.

Embora a pesquisa do IBGE e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) do Ministério do Trabalho tenham bases de dados distintas, ambas apontam para a mesma direção: taxas significativas de demissões na construção civil. As demissões no mercado formal têm crescido progressivamente desde outubro do ano passado. Com isso, o sindicato estima um corte de 475 mil empregos na construção brasileira em 2015.

Pior resultado da série histórica
De acordo com a Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua (PNAD Contínua), iniciada pelo IBGE há três anos, no segundo trimestre o número de desempregados no país cresceu 5,3% em relação ao trimestre anterior, somando 8,4 milhões de pessoas. Na comparação com igual período do ano anterior, o nível de desemprego cresceu 23,5%.

Na construção, o desemprego aumentou 6,7% no segundo trimestre em relação ao trimestre anterior (o equivalente a 509 mil) e 8,6% em relação ao mesmo trimestre do ano passado (673 mil pessoas).

(SindusCon-SP)

Os boletos de anuidade dos sócios estão sendo enviados por e-mail. Caso ainda não tenha recebido o seu, entre em contato por nosso whatsapp.