Em noite prestigiada, diretorias do setor da construção civil do DF tomam posse

posse-construcao-df-2015

Foto: Toninho Tavares/Agência Brasília

Governador Rodrigo Rollemberg prestigiou solenidade que contou com a presença do ex-presidente do STF, ministro Ayres Britto

As diretorias do Sindicato da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Sinduscon-DF), da Associação de Empresas do Mercado Imobiliário do Distrito Federal (Ademi-DF), da Associação Brasiliense de Construtores (Asbraco) e do Serviço Social da Indústria da Construção Civil do Distrito Federal (Seconci-DF) tomaram posse conjunta na noite de quarta-feira (5), em evento que reuniu cerca de 700 pessoas entre parlamentares, representantes do governo e de entidades de classe, empresários e a sociedade civil no Auditório José Carlos Gomes Carvalho, da Confederação Nacional da Indústria (CNI).

Em seu discurso, o presidente do Sinduscon-DF, Luiz Carlos Botelho, explicou que a construção civil, segmento responsável pela geração de três milhões de empregos formais no Brasil e de cerca de 90 mil no DF,  funciona como uma espécie de termômetro da economia. “Se as condições estão favoráveis ao crescimento e aos investimentos, somos os primeiros a traduzir, com obras, essa realidade. Porém, se as condições estão adversas, como agora, somos, também, os primeiros a acusar o golpe da desaceleração”. O representante do sindicato expôs que a principal missão das entidades durante os próximos dois anos é trabalhar incansavelmente para resgatar os investimentos, o trabalho e a imagem do setor neste cenário de dificuldades. “Para isso, teremos de percorrer – e já estamos percorrendo – o caminho do diálogo com o Governo de Brasília”.

O governador Rodrigo Rollemberg ressaltou a importância da construção civil para a cidade. “É um setor que, quando vai bem, impulsiona outras cadeias produtivas, gerando um ciclo virtuoso de geração de emprego e oportunidades”, reconheceu.  Destacando as dificuldades que o país enfrenta, fruto de uma burocracia atrasada, o governador destacou: “Vivemos uma contradição que precisa ser enfrentada. Enquanto demoramos para a aprovação de projetos, a cidade explode de forma ilegal”.

Com a palavra, o presidente da Asbraco, Afonso Assad, levantou uma questão relevante: fomentar pequenas obras e valorizar os pequenos e médios empresários, para que estes tenham condições de voltar a gerar emprego e renda. Ele explica que são estas empresas que executam as obras necessárias para o funcionamento da cidade, como as de infraestrutura e saneamento básico, construção de escolas e creches públicas, reformas em hospitais, entre outras. “O grande desafio dessa gestão é a garantia de um fracionamento justo das obras no DF, a fim de que haja espaço e trabalho para todos os empresários locais, independentemente do porte”.

Na ocasião, o presidente do Seconci-DF, Deyr Corrêa, reforçou o papel social da entidade e disse assumir o cargo como uma missão honrosa. “Nosso trabalho tem a mais virtuosa das missões, pois o bem maior das empresas é o seu trabalhador, do qual nós cuidamos”. Corrêa aproveitou para convidar os participantes, e em especial o governador, para a 28ª formatura de alfabetização de jovens e adultos, que possibilita aos trabalhadores da construção civil a oportunidade de melhorar o conhecimento que possuem.

O presidente da Ademi-DF, Paulo Muniz, reafirmou o compromisso de atuar com firmeza e responsabilidade em defesa do setor imobiliário, que continua enfrentando insegurança jurídica, consequência da dificuldade na aprovação de projetos, alvarás e habite-se. “Nessa gestão, vamos continuar estimulando o fortalecimento e a união das entidades e, principalmente, a união do setor produtivo”, afirmou o presidente, citando o lançamento da Frente Parlamentar em Defesa do Setor Produtivo.

Dentro do contexto citado por Paulo Muniz, a presidente da Câmara Legislativa, deputada Celina Leão, destacou que o Legislativo tem feito pelo setor. A deputada acredita que os poderes precisam ter uma visão humanista. “Sempre fomos defensores desse segmento, pois a construção civil é um setor estratégico para a economia e precisa de força”.  A parlamentar ainda reforçou para o governador que a casa aguarda, com expectativa, a desburocratização do DF. “Essa pauta vai impulsionar a economia da cidade”, concluiu.

A solenidade foi encerrada com uma palestra do ex-presidente do STF, Ayres Britto, que falou sobre transparência e política. “Estamos vivenciando, no Brasil, uma mudança de atitude. A desonestidade, como estilo de governo, está com seus dias contados”, frisou o ministro.

(Portal Construção DF, com informações da Assessoria de Comunicação do Sinduscon-DF e Agência Brasília)